Seletor idioma

Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Faculdade de Estudos Sociais
Início do conteúdo da página

Faculdade de Estudos Sociais

Publicado: Quarta, 04 de Julho de 2018, 16h15 | Última atualização em Segunda, 22 de Abril de 2019, 12h38 | Acessos: 1473

HISTÓRICO

Em 13 de maio deste ano de 1958, iniciaram-se as aulas do Curso de Economia e, até o ano de 1964, apenas esse curso fazia parte de sua estrutura organizacional. No entanto, o Decreto Estadual nº. 02 de 04.01.1960, publicado no Diário Oficial do Estado em 07.01.1960, aprovou o Regulamento Interno da Faculdade de Ciências Econômicas do Amazonas, no qual estabelecia em seu artigo 2º, item a, que a referida Faculdade tinha, entre outros, o objetivo de “ministrar o ensino superior das ciências econômicas, financeiras, administrativas, contábeis e atuariais, com finalidade deformar profissionais nessas especialidades” .

A Lei Federal nº. 4.069-A, de 12.06.62, cria a Fundação Universidade do Amazonas. O artigo 14 dessa lei dá a composição dos estabelecimentos que formarão a estrutura organizacional da Universidade, consignando em sua letra f, a Faculdade de Ciências Econômicas do Amazonas. Pelo Decreto nº. 53.699 de 13.03.1964, fica instituída a Fundação Universidade do Amazonas e aprovado o seu estatuto de funcionamento. Esse documento, ao registrar a constituição dos bens que irão compor a dita Fundação (capítulo III, artigo18), assinala que os bens móveis e imóveis da Faculdade de Ciências Econômicas do Amazonas farão parte do seu patrimônio. Entretanto, o Governo Estadual só oficializa essa transferência em 29.07.1964, através do Decreto nº. 68.
 
Em 1965 foi instalado o Curso de Contador e, em setembro desse ano, o então Diretor da Faculdade de Ciências Econômicas – Professor Saul Benchimol – encaminha o processo nº. 26/65 ao Conselho Universitário, no qual solicita autorização para o funcionamento do Curso de Administração. O relator do processo foi o Professor Orígenes Angelitino Martins e, em sessão do dia 17.11.1965 daquele Egrégio Conselho, foi aprovado o pedido, que teve a autorização oficializada através da resolução nº. 09/65, de 20.11.1965. Na ata dessa sessão, encontra-se o registro de que o número de vagas para esse curso seria 30 (trinta) e que seu funcionamento aconteceria em 1966.

Até 1971, o número de vagas permaneceu o mesmo. Nos anos de 1972 e 1973 o número de vagas passou para 30 (trinta) no curso diurno e 30 (trinta) no curso noturno. Já no ano de 1974, há um acréscimo de 10 (dez) vagas para cada turno, distribuindo-se 40 (quarenta) vagas no curso diurno e 40 (quarenta) vagas no curso noturno. Esse quantitativo altera-se no ingresso ao curso no ano de 1977, quando passa para 80 (oitenta) vagas no curso diurno e 80 (oitenta) vagas para o curso noturno.

O Curso de Administração teve, além do seu momento de criação e implantação, quatro grandes momentos:

  1. Em 1972, quando teve que adaptar-se às normas emanadas do MEC quanto à Reforma Universitária que instituiu o regime de créditos;
  2. Em 1976, quando houve uma reformulação curricular e a ampliação do número de vagas em 100%, a viger a partir de 1977;
  3. Em 1980, quando através da Resolução nº. 013/80, do Conselho de Ensino e Pesquisa, foram criadas as habilitações em Administração Pública e Administração de Empresas, que procurou aproveitar a capacidade docente especializada nessas subáreas de conhecimento da Ciência da Administração;
  4. Em 1995, quando através da Resolução nº. 15/95, de 04.09.1995, do Conselho de Ensino e Pesquisa, o curso retoma a sua concepção original com caráter generalista e implanta o novo currículo sob a égide da Resolução nº. 2, de 04.10.1993, do Conselho Federal de Educação, que fixou os mínimos de conteúdos e duração do Curso de Graduação em Administração.

 

DIRETORIA

DIRETOR

Imagem relacionada

Antônio Jorge Cunha Campos



Possui graduação em Administração de Empresa pela Universidade Federal do Amazonas (1991), mestrado em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1996) e doutorado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (2004). Atualmente é professor da Universidade do Estado do Amazonas, mandato 2013/2016. do Conselho Regional de Administração do Amazonas e professor titular da Universidade Federal do Amazonas. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Administração da Produção, atuando principalmente nos seguintes temas: cadeia logística, logística, administração, administração de empresas e desenvolvimento regional. (Texto informado pelo autor)

VICE-DIRETOR

Luiz Augusto de Carvalho Francisco Soares

  • Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/5116724386390993
  • Última atualização do currículo em 28/01/2019

 


Doutor em Administração - Finanças pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (2014). Bacharel em Direito pelo Centro Universitário do Norte (2004). Mestre em Administração - Finanças pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998).Pós-Graduado em Auditoria pelo ISAE/FGV (1992). Bacharel em Ciências Contábeis pelo Centro de Ensino Superior do Amazonas (1991). Atualmente é Professor Associado Universidade Federal do Amazonas. Vice-Diretor da Faculdade de Estudos Sociais - FES/UFAM, coordenador do Curso de Mestrado em Contabilidade e Controladoria Stricto Sensu da FES - Faculdade de Estudos Sociais - UFAM, Coordenador Acadêmico do curso de Especialização em Gestão Contábil - Tributária - Lato Sensu. Advogado e Contador Tributarista. Consultor Financeiro. Auditor. (Texto informado pelo autor)

SECRETARIA

Crisomar Sevalho da Costa

Éder Ferreira de Araújo

Jamilly Radhji de Lima Mota

Marcos Candido da Silva

 

 

Fim do conteúdo da página